6 de dezembro de 2009

Troubadour - J.J. Cale (1976)


Escutei o nome J.J. Cale a primeira vez há vários anos quando ainda morava em Pelotas e pensava ter desistido em definitivo dessa vida de roqueiro. Me atirei de cabeça na lógica da computação como uma fuga desesperada pra me livrar do vício da música. Mas, cachorro que come ovelha só matando - como diria o povo ali da fronteira.

Tinha um cunhado na época que não me deixava esquecer a minha origem roqueira, por mais nerd que pudesse estar na ocasião. Sempre que tinha algum show em Porto Alegre – ele morava aqui na época – eu vinha pra gente ver e depois claro, bebíamos algumas e ficávamos escutando CDs e falando sobre roque evidentemente.

Numa dessas fadadas noites, entre um drink e outro ele me apresentou o cara que tinha feito a música “Cocaine” hit do Eric Clapton – pra mim do Eric Clapton até então - na verdade me apresentou a coletânea Special edition de J.J. Cale (1984). Lembro que me chamou atenção à forma como ele cantava parecido ao Eric Clapton e de como gostei mais das duas versões originais de cocaine e after midnight do que as regravadas pelo Clapton.

De lá pra cá nunca mais falei que after midnight era do Clapton, sabia que era do tal J.J. Cale. Mas quem era J.J. Cale além das músicas “cocaine e after midnight” eu não sabia.

Foi então que numa dessas minhas freqüentes noites de insônia, em que tava pesquisando num blog de álbuns completos algo pra baixar, eu vi esse álbum “Troubadour” de J.J. Cale e me lembrei que era o cara da “Cocaine”, casualmente era o álbum em que a música foi originalmente lançada em 1976, baixei na hora.




Troubador é um daqueles discos que tu escuta de ponta a ponta e quando acaba da vontade de escutar de novo. É uma música madura de um cara que já começou sua carreira maduro – lançou seu primeiro álbum aos 33 anos de idade em 1972 – com elementos de blues, jazz, rockabilly, country e com quase todos os instrumentos executados pelo próprio, Troubadour é um ótimo exemplo do estilo que J.J. Cale é um dos criadores, o “Tulsa Sound”, estilo esse que acabou influenciando vários artistas como Eric Clapton, Mark knopfler, Neil Young e Tom Petty

O disco abre com os ótimos metais de “Hey Baby” e depois embala na muito parecida com after midnight, “Traveling light” - onde se escuta uma guitarra que poderia se dizer com toda certeza que era do Eric Clapton - por sinal, hoje entendo que quem canta parecido com o J.J. Cale é o Eric Clapton e não o contrário como pensei na época que escutei a cocaine original.

Minhas preferidas do álbum são “Ride me high” e “Cherry”. Ride me high pelos timbres usados e pela macheza da levada, Cherry por ser uma singela canção de amor com uma percussão maravilhosa.



J.J. Cale lançou esse ano o seu mais recente trabalho chamado “Roll on” e apesar de ter ganhado o Grammy em 2008 com “The Road to escondido” - trabalho conjunto com Eric Clapton – ele continua avesso a badalação do mundo artístico e somente após muita insistência ele saiu em turnê esse ano, depois de longos 5 anos longe dos palcos.

Eita caipira cool man!



http://www.jjcale.com/

http://www.myspace.com/jjcale

1 comentários:

Lili Má | 23 de abril de 2010 12:57

gostei.

Postar um comentário